Notícias

Palácio de Versalhes: como ir e quanto custa um bate e volta saindo de Paris

Você sabia que o Palácio de Versalhes está localizado a apenas 21 km de Paris? Nós fomos até lá em um bate e volta imperdível que, sem sombra de dúvida, valeu muito a pena. Nesta matéria compartilharemos com você como foi a nossa experiência, como chegar até lá e os valores gastos para conhecer o palácio mais famoso do mundo.


Palácio de Versalhes

O Palácio de Versalhes, mais conhecido como Château de Versailles, é um dos pontos turísticos mais visitados da França, sendo essa uma atração que não pode, de maneira nenhuma, ficar fora de seu roteiro. No complexo, você também poderá visitar os Palácios Trianon, a Aldeia de Maria Antonieta e os famosos jardins que proporcionam um cenário incrível, de tirar o fôlego. Para quem não está familiarizado com a história do local, vamos fazer um breve resumo para que você entenda a importância histórica do local!

Tudo começou em 1624, quando o rei Luís XIII ordenou a construção de um pequeno pavilhão de caça em Versalhes, uma área rural na época. Em 1631, o próprio rei iniciou a expansão do pavilhão para transformá-lo em um pequeno palácio, dando origem à estrutura que conhecemos hoje.

Em 1661, o rei Luís XIV, transformou Versalhes em uma residência Real e símbolo do absolutismo, sendo que em 1682 o rei transferiu oficialmente a corte e o governo para Versalhes. Seu sucessor, Luís XV, continuou a expansão adicionando a Ópera Real de Versalhes e o Petit Trianon. Uma curiosidade bem legal é que, durante o período de atividade, mais de 10 mil pessoas viviam no local. Bastante gente, né?

Após a revolução francesa, o local se tornou um museu e passou por diversas restaurações. E hoje, como afirmamos anteriormente, é um dos locais mais visitados da França.

E aproveitando, aqui vai a primeira dica super importante: quando você chegar ao local, do lado direito do portão é a entrada exclusiva para grupos. Já do lado esquerdo, é a entrada exclusiva para quem comprou o ticket pela internet (falaremos os preços daqui a pouquinho!). Agora, caso você opte por comprar o ingresso na hora, há uma bilheteria disponível. Mas como a ideia é otimizar o máximo possível o seu tempo, recomendamos que você compre o ingresso antecipadamente para evitar filas.

Já dentro do palácio, você poderá passar de cômodo em cômodo e encontrar muitos móveis e objetos originais da época. E aqui vai a segunda dica importante: chegue o mais cedo possível, pois os espaços são pequenos e costumam ocorrer aglomerações de pessoas, já que todo mundo quer tirar boas fotos.

E por falar em fotos, confira algumas que tiramos na Grand Cabinet de Madame Victoire e da Chambre de Madame Adélaide.

O segundo andar do palácio é muito diferente do primeiro, visto que lá estão os grandes apartamentos. Durante a sua visita, você poderá notar que não há mobílias pois, após a revolução francesa, a prioridade era preservar o castelo. Todos os quadros foram retirados e enviados ao Louvre. Além disso, os móveis foram leiloados. O ponto positivo é que por ter mais espaço para circular, fica um ambiente mais agradável para poder caminhar com calma, sem aglomerações.

No mesmo ambiente, você poderá entrar no quarto do rei, que era o melhor quarto do palácio, localizado bem no centro. A decoração é bem bonita e chama atenção com os seus detalhes.

Em seguida, você poderá acessar a principal atração da sua visita dentro do palácio: a Galeria dos Espelhos, que foi construída entre 1678 e 1684, durante o reinado de Luís XIV. A ideia dele era mostrar o poder ilimitado do rei, deixando sua marca na história, mostrando a supremacia política e econômica da monarquia francesa.

O espaço também era utilizado para grandes festas da corte, banquetes, reuniões, etc. Um dos momentos mais importantes para a história da humanidade também ocorreu neste ambiente: a assinatura do Tratado de Versalhes, que decretou o fim da Primeira Guerra Mundial.

Já do lado de fora, uma curiosidade peculiar. Durante o inverno e boa parte do outono, algumas estátuas dos jardins ficam cobertas. É isso mesmo que você leu: cobertas. O fato acaba tirando um pouco o charme do local. Por isso, nossa recomendação é que você visite o palácio na verão ou na primavera, sendo essas as melhores épocas para aproveitar o atrativo da melhor forma possível.

Lembrando que durante a sua visita, você poderá utilizar um áudio guia em português que já está incluído no valor do ingresso. Isso fez muita diferença durante a nossa visita para entendermos tudo o que estávamos vendo, até porque, todas as placas são em francês.

A propósito, nós temos um vídeo mostrando nossa experiência ao visitar o palácio mais famoso do mundo. Confira a seguir:


Como ir de transporte público para Versalhes

Se você não está familiarizado com o transporte público de Paris, não se preocupe! Nós temos uma matéria super completa sobre como funciona os principais meios de transporte em Paris, inclusive com muitas dicas para você economizar muito. Não deixe de conferir neste link.

  • Trem de Paris para Versalhes

A melhor opção para ir de trem é utilizando a linha C do RER, que é um sistema de linhas de trem que conectam o centro de Paris às regiões mais periféricas. Em nossa visita, embarcamos na estação Gary de Lyon, mas dependendo da sua localização, o seu ponto de embarque pode ser diferente.

O palácio está localizado muito próximo à estação Versailles Château Rive Gauche, cerca de 10 minutos andando. O trajeto até lá durou aproximadamente 1 hora.

  • Ônibus de Paris para Versalhes

Apesar de não ser o meio de transporte mais utilizado, o ônibus pode ser uma opção para você chegar até o local. A principal linha de ônibus que liga Paris a Versalhes é a 171, com origem na estação Pont de Sèvres, que também oferece acesso à linha 9 do metrô.

Se você optar pelo modal, tenha em mente que a duração da viagem é de aproximadamente 30 minutos, dependendo do trânsito. Você descerá na parada Place d’Armes de Versailles que está localizada muito próxima à entrada do principal do Palácio.

  • É possível ir de Uber ou outros app de mobilidade de Paris para Versalhes?

Sim, é possível. E dependendo da situação, pode até ser vantajoso. Realizamos uma simulação em diferentes aplicativos de mobilidade urbana: Uber, Bolt e FreeNow. Na primeira e terceira opção, as corridas mais econômicas ficaram próximas aos 30 euros. Já na segunda, ficou cerca de 22 euros.

Vale ressaltar que os preços dos aplicativos são dinâmicos e variam de acordo com diversos fatores, como horário, tráfego, etc.


Como ir de carro para Versalhes

Realizamos uma simulação com origem no centro de Paris para verificar os possíveis caminhos para chegar até o Palácio de Versalhes. A duração média dos trajetos apresentados é de aproximadamente 40 minutos. Veja no mapa a seguir:

Se você optar por ir de carro, precisará deixa-lo em um estacionamento. Para facilitar a sua vida, realizamos uma pesquisa e constatamos que há um estacionamento bem próximo a entrada principal, na Place d’Armes. Confira a seguir os valores:

  • 1 hora: isento.
  • 2 horas: 4 euros.
  • 3 horas: 8 euros.
  • 4 horas: 12 euros.
  • 5 horas: 16 euros.
  • a partir de 6 horas: 24 euros.

Dito isso, aqui vai uma dica especial da nossa equipe: se você pretende alugar um carro para conhecer o complexo, tenha em mente que essa não é a melhor opção. O transporte público de Paris é extremamente eficiente e o valor gasto no aluguel do carro pode não valer a pena, mesmo que você deseje conhecer outros atrativos.

Mas, se você não abre mão de ter o seu próprio veículo durante a sua estadia na cidade luz, nós temos uma boa notícia: leitores do Viaje por Conta tem preços especiais no aluguel com a Rentcars, maior portal de comparação de preços e locação de veículos da América Latina. Para alugar o seu carro, acesse este link.


Quanto custa o ingresso para o Palácio de Versalhes?

Existem alguns tipos de ingresso para o complexo. Veja abaixo:

  • Ingresso Palácio: atualmente o ingresso inclui visita apenas ao palácio e suas instalações com o preço de 19,50 euros.
  • Passaporte sem atrações: o ingresso oferece acesso ao palácio principal, palácios Trianon, aldeia de Maria Antonieta, parque e jardins com o preço de 21,50 euros.
  • Passaporte com atrações: o ingresso oferece acesso ao palácio principal, palácios Trianon, aldeia de Maria Antonieta, parque e jardins, além dos shows das fontes e jardins musicais com o preço de 28,50 euros.

O Seguro Viagem é obrigatório na França?

Se você está planejando conhecer qualquer país dentro do Espaço Schengen, saiba que o Seguro Viagem é um item obrigatório! Mas nós temos uma excelente notícia para você: Os leitores do Viaje Por Conta podem aproveitar um BENEFÍCIO EXCLUSIVO DE 15% DE DESCONTO na hora de adquirir um Seguro Viagem da Assist 365, uma das melhores seguradores do país.

Para adquirir o produto, basta clicar neste link e viajar sem preocupações!


Como foi possível observar ao longo do texto, visitar Versalhes e aproveitar cada detalhe exige tempo. Por isso, recomendamos que você tira um dia inteiro para explorar o local com calma e consiga admirar cada centímetro deste lugar incrível.

E aí, acha que vale a pena fazer um bate e volta de Paris para vivenciar essa experiência? Compartilhe com a gente nos comentários!


Veja também 👇🏼

One thought on “Palácio de Versalhes: como ir e quanto custa um bate e volta saindo de Paris

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *