BarcelonaEspanhaEuropaRoteiros

Roteiro de viagem Espanha: Barcelona em 4 dias

Quatro dias é um bom tempo para ficar em Barcelona, uma cidade que tem muito a oferecer: gastronomia, arquitetura, arte, lojas, praias, belos pontos turísticos e muita diversão. Ou seja, se puder, fique mais, mas neste tempo você vai ver as grandes atrações da capital da Catalunha.

Entretanto, atenção: planejar uma visita pode não ser muito fácil, já que comprar ingressos com antecedência (com horário marcado) é fundamental para fazer seu dia render e evitar horas de fila. Por isso vamos montar um roteiro para que você aproveite cada detalhe da melhor maneira possível.

Parc Güell, em Barcelona – uma das muitas obras de Gaudí pela cidade

DICA: Acha bobagem se preocupar com ingressos antes? Pois saiba que em Barcelona nós recomendamos tanto para museus quanto pontos turísticos, como as Casas do Gaudí, o Parc Güell e a Sagrada Família. As entradas costumam esgotar no dia e você não vai querer ficar de fora desses e de outros lugares. Então a dica é comprar o maior número possível deles antecipadamente pela internet. Além de geralmente ser mais barato, você vai economizar um tempo precioso.

DIA 1:

Vamos começar o passeio em grande estilo, conhecendo a Sagrada Família e o Parc Güell, duas das mais importantes obras do arquiteto Antoni Gaudí, que estão espalhadas por toda cidade. Sugerimos que você vá primeiro ao Parc Güell e deixe a Sagrada Família para o período da tarde, assim poderá ficar por lá até o anoitecer e ver a igreja iluminada. Caso não seja possível, faça o percurso inverso, mas no final do dia volte até a igreja para vê-la em um cenário totalmente diferente.

PARC GÜELL: Desça na estação de metrô LESSEPS ou VALLCARCA (ambas na L3 – verde) e caminhe até a entrada do parque (prepare-se, é uma subida e tanto, mas alguns trechos têm até escada rolante). Repleto de árvores e muito colorido, tudo lá dentro é mágico e você vai querer fotografar cada detalhe. Existem duas áreas de visitação, uma gratuita e outra paga (garanta seu ingresso pelo site www.parkguell.cat. No dia que fomos, de manhã, assim que chegamos na entrada, todos os demais horários estavam esgotados).

Com certeza você passará a manhã toda por lá. Há panfletos informativos em português, com várias curiosidades sobre o lugar e breves resumos do que as obras significam e como foram pensadas. Prepare-se também para enfrentar uma multidão, pois o local é sempre lotado (mesmo com limite de pessoas para visitá-lo por dia).

Veja como foi a nossa visita aqui: 

SAGRADA FAMÍLIA: Não se assuste com os guindastes trabalhando nas fachadas e o barulho de máquinas. Você está diante de um dos pontos turísticos mais relevantes do mundo que, na verdade, é uma obra inacabada de Gaudí. Pois é, a previsão para a Sagrada Família ficar pronta é só 2026, mas isso não tira, de forma alguma, o brilho deste lugar impressionante. Prepare-se para um espetáculo de detalhes, cores e beleza. E, claro, muita fé.

Para chegar até lá, desça na estação SAGRADA FAMÍLIA do metrô (L2 – lilás ou L5 – azul), bem ao lado da igreja. O passeio será dividido em duas etapas: parte interna e externa, ambas surpreendentes.

A exuberante Sagrada Família

Parte externa: Belíssima construção de proporções gigantescas – tão grande que é preciso se afastar bastante para conseguir uma boa foto. Possui duas fachadas terminadas:

A Fachada da Natividade representa o nascimento e a adolescência de Jesus. Tudo ali é repleto de simbologia, até mesmo o fato de o sol nascer daquele lado, indicando o nascimento da vida. A entrada de visitantes é feita por ela. Em frente está a Praça de Gaudí, com um lindo lago.

A Fachada da Paixão fica do lado oposto, e está apoiada sobre seis colunas. As imagens representam os últimos dias da vida de Jesus, a dor, o sacrifício e a morte, através da encenação das 12 fases da crucificação. Recebe os últimos raios de sol, simbolizando a obscuridade. Em frente a ela está a Praça da Sagrada Família.

A Fachada da Glória que ainda está em construção, será a maior de todas e principal acesso ao templo.

Fachada da Paixão

O interior: Assim que entrar você será envolvido por uma explosão de cores e efeitos indescritíveis – impossível não soltar um UAU de surpresa. Preste atenção nos vitrais por toda a volta e no efeito do sol entrando por eles. Nossa dica de ir no final da tarde também é por isso, pois é o momento que os raios solares entram pelos vitrais de cores quentes e o espetáculo é garantido.

Como Gaudí se inspirou na natureza, as colunas simbolizam troncos de árvores e transformam o interior em um enorme bosque de pedras. O tempo para visitar a parte de dentro, a torre e a cripta varia de pessoa para pessoa. Se você gosta de conhecer bem os detalhes, pode optar por uma visita com audioguia. Pode filmar e fotografar, menos na parte reservada para orações, bem de frente para o altar. Respeite.

As Torres: Quando o templo for finalizado ele terá 18 torres: uma para cada Apóstolo, uma para cada Evangelista, uma para a Virgem Maria e a de Jesus, que será a maior com 172 metros e terá uma cruz no topo. Você pode, e deve visitar uma das torres já existentes. A subida é feita por elevador e a descida por uma escada estreita em forma de caracol com altura equivalente a um prédio de 20 andares.

Não recomendamos a subida para pessoas com mobilidade reduzida ou que tenham algum problema em lugares fechados. Fora isso, suba e você será presenteado com belas vistas da cidade.

Veja como é a visita, o interior da Sagrada Família e como é subir na torre aqui:

DICA: Na hora de comprar o ingresso, você precisa escolher qual torre quer subir e o horário. Quanto a isso, podemos dizer que a diferença está basicamente na vista que você terá de Barcelona. Nós optamos pela torre da Fachada da Natividade, aquela em frente ao lago, e foi ótimo. O acesso é por dentro da igreja e, ao descer, você pode continuar sua visita por quanto tempo quiser.

A Cripta: Vale muito a pena conhecer, o ingresso é gratuito. Sério, o lugar é impressionante e é onde está o corpo de Gaudí.

DICA: Você pode comprar ingressos, verificar horários de funcionamento e até fazer um tour virtual pela igreja aqui.

DICA: Não existe um Código de Vestimenta pré-determinado para entrar na Sagrada Família, mas lembre-se, você está visitando um lugar sagrado. Use o bom senso, e mesmo nos dias mais quentes evite roupas muito curtas ou decotadas para evitar qualquer tipo de constrangimento.

DIA 2:

La Pedrera na Passeig de Gràcia

Desça na estação DIAGONAL do metrô (L3 – verde ou L5 – azul) e você estará bem onde começa a Passeig de Gràcia, avenida mais chique de Barcelona e comparada à Champs Élysées de Paris. Durante o percurso aproveite para ver a coleção de lojas de grifes e as exóticas luminárias que também servem de bancos.

No cruzamento da Passeig de Gràcia com a Carrer de Provença está o primeiro destaque do trajeto: a La Pedrera, também conhecida como Casa Milá, mais uma obra importantíssima de Gaudí. Entre e surpreenda-se. A visita é IMPERDÍVEL. E não se preocupe se você não souber exatamente o que esta casa representa para Barcelona, para Gaudí ou para o mundo da arquitetura. Há audioguia em português e você sairá de lá expert. Veja como é o tour aqui:

Casa Batlló conta com audioguia interativo

E o tour pelo mundo de Gaudí não para por aí. Três quadras abaixo, à direita, está outra obra do arquiteto a ser visitada, a Casa Batlló. Na verdade, há sempre uma disputa para tentar identificar qual das casas é mais importante, mais interessante, etc.

A resposta é: elas são completamente diferentes, únicas, incríveis e ambas são imperdíveis. Mas, na nossa opinião, a Batllo tem um algo a mais. O audioguia também é em português, mas com um diferencial: ele é interativo, reproduzindo a casa no seu auge. Impressionante. De verdade. A visita, em cada casa, dura cerca de duas horas.

Continue a caminhada até a Plaça de Catalunya, a mais central da cidade e uma das maiores da Espanha. É o principal ponto de interligação dos transportes públicos e também o ponto final do Aerobus, um ônibus que faz a linha do aeroporto até o centro.

Ela é conhecida como o coração de Barcelona, pois ali se juntam o Passeig de Gràcia, Las Ramblas, a Ciutat Vella (Cidade Antiga) e o bairro de Eixample (que pertence à parte nova). Ao redor dela existem várias lojas famosas, incluindo a FNAC e a Apple Store.

Atravesse a praça e chegue à agitada avenida Las Ramblas – sim, onde aconteceu o terrível atentado terrorista em 2017. Mas não pense nisso e curta o passeio, afinal é impossível saber o que pode acontecer em qualquer parte do mundo.

Las Ramblas é um quilômetro de lojas, bares, restaurantes e constante movimento de pedestres. Artistas de rua aproveitam para se apresentar e tendas de artesanato lotam as calçadas.

Um dos lugares mais famosos da avenida é o Mercado de La Boqueria (e um dos lugares que mais gostamos na cidade). Entre e aproveite para fazer um lanche. Tome os sucos feitos na hora e coma cones de jamon. E bem perto dali, bem no alto de um prédio, está a estátua El Dragón y el paraguas. Nós fizemos um vídeo de todo esse percurso. Confira aqui:

A avenida termina na área portuária onde está o Mirador de Colón, estátua de Cristóvão Colombo apontando para a América. Dentro da coluna há um elevador para chegar até a base da estátua e ter uma visão diferente da cidade. A bela ponte de madeira à frente se abre para dar passagem às embarcações e também é o caminho para chegar ao Shopping Center. Daqui também se avista lá no alto o Castelo de Monjuic.

Mas se você começou cedo o seu dia, com horário agendado nas casas de Gaudí e tudo, está com tempo ainda de curtir a praia mais badalada de Barcelona: a praia Barceloneta. Da estátua de Colombo, basta andar cerca de 15 minutos para chegar no lugar preferido dos turistas e locais para curtir um dia ensolarado no mar Mediterrâneo. E mesmo se não quiser entrar no mar, visite a praia, sempre muito cheia e repleta de bares de praia chamados de “chiringuitos”. Divirta-se.

DIA 3:

Hoje o dia começa com um passeio pelo Parc de La Ciutadella. Desça na estação de metrô ARC DE TRIOMF (L1 – vermelha). Imediatamente você verá o imponente Arc de Triomf, cuja história se assemelha à da Torre Eiffel, pois foi construído para ser a porta principal de uma exposição e tornou-se símbolo da cidade. Admire, fotografe e depois comece a caminhada pela avenida arborizada Passeig Lluis Companys até chegar ao parque. Pelo caminho existem várias construções antigas para serem vistas.

O imponente Arc de Triomf de Barcelona (bem menor que o de Paris)

PARC DE LA CIUTADELLA: No coração da cidade, é o mais antigo e importante de Barcelona. Considerado um mini paraíso pelos moradores, pois lá eles encontram um recanto para descansar, praticar esportes ou simplesmente fugir um pouco da agitação da cidade. Dentro do parque existem diversas esculturas e monumentos interessantes, lindos prédios históricos, como o Parlamento da Catalunya, o Museu de História Natural, lagos, uma infinidade de atrações.

O ponto alto é a incrível Cascata Monumental (com esse nome não precisamos falar mais nada, não é?) Não visitá-la seria como ir à Roma e não ver a Fontana di Trevi. Nem pense nisso! Outra obra bastante interessante é a enorme estátua de um Mamute, que fazia parte de um projeto que tinha por objetivo construir réplicas de animais pré-históricos por todo o parque. Detalhe: o dinheiro acabou e só o Mamute foi construído!

Catedral de Barcelona

Saia do parque por uma rua lateral, a Carrer de La Princesa, e caminhe até a Via Laietana. Vire à direita e ande até chegar à Plaça Nova (parece longe, mas não é!). A propósito, aqui você está no Barri Gòtic (ou El Gòtic ou Bairro Gótico mesmo), parte histórica da cidade. Conheça a Catedral de Barcelona, ou Santa Eulália, digna de ser contemplada com cuidado. Visite-a por dentro, vale a pena!

Além disso, existem várias construções que com certeza vão chamar sua atenção pela arquitetura e beleza. É muito comum também ver nessa praça pessoas ou grupos fazendo apresentações de danças ou concertos de música ao vivo.

Bem próxima dali está a Basílica Santa Maria Del Pi, é só seguir pela Carrer de La Palla. Uma das surpresas mais agradáveis escondidas pelo Barri Gòtic, exibindo a gigantesca e belíssima rosácea da fachada com 10 metros de diâmetro. É possível conhecer o interior da igreja, subir no campanário e caminhar pelos jardins, mas a visita é paga.

Depois de uma parada para o almoço, pegue o metrô e desça na estação ESPANYA (L1 – vermelha ou L3 – Verde). Você está na Plaça D’Espanya, que como muitas outras da Espanha nada mais é do que uma rotatória, mas isso não quer dizer que não seja bonita. Ao contrário, é linda, mas principalmente pelo ambiente que a cerca. E atenção: Observe-a sempre do outro lado da rua, pois não é permitido ir até lá.

Não podemos deixar de dizer que você está em uma das mais belas regiões de Barcelona, repleta de coisas para explorar.

Primeiro vamos ao Centro Comercial Arenas. Trata-se de uma antiga arena de touradas, mas como a prática não é mais permitida na cidade, o prédio foi transformado em um shopping center. Lá você vai encontrar várias lojas famosas, restaurantes, lanchonetes e até um supermercado.

Mas o verdadeiro destaque do local é sem dúvida a vista 360 graus a partir do terraço circular no alto do prédio. Você pode chegar lá usando os elevadores ou as escadas rolantes no interior do shopping, ou ainda pegar o elevador panorâmico que fica na parte externa, mas nesse caso é necessário pagar 1 euro por pessoa.

De uma forma ou de outra vá até o terraço, pois a vista é incrível. Além das Torres Venecianas e do Palau Nacional, você também avista a montanha e o Castelo de Monjuic que visitaremos no quarto dia em Barcelona. Esta é a vista:

Plaça D’Espanya com as Torres Venecianas e do Palau Nacional ao fundo vistos do Centro Comercial Arenas

Saindo do Comercial Arenas siga em direção às Torres Venecianas. Com certeza você se lembrou de Veneza, não é? Sim, elas são inspiradas no Campanário de San Marco e tal qual o Arc de Triomf, foram construídas por ocasião de uma exposição, tornando-se mais um importante ponto turístico da cidade.

Este é o Centro Comercial Arenas

Caminhe pela Avenida La Reina Maria Cristina para chegar ao Palau Nacional (Palácio Nacional). No meio do caminho você verá a Fonte Mágica, e após ver o espetáculo das incontáveis combinações de água e luz não terá dúvidas sobre o nome dado a ela.

Para isso sugerimos que você fique pela região até o anoitecer, pois o contraste das luzes e da água se torna ainda mais impactante. Pessoas se agrupam ao redor da fonte à espera desse momento mágico.

Enquanto a noite não chega, continue seu caminho até o Palácio. Observe as lindas colunas gregas no meio da escadaria.

Este magnífico prédio abriga também o Museu de Arte da Catalunya, que contém mais de 250 mil obras de artes de gênios mundiais e é considerado um dos museus mais ricos do planeta. Visite-o e depois aproveite o máximo que puder para explorar o terraço do palácio e seus arredores enquanto espera pelo fantástico show das águas da Fonte Mágica.

DICA: No site oficial do palácio você pode conferir todas as informações sobre preços e horários de funcionamento.

O belíssimo Palácio Nacional de Barcelona que abriga o Museu de Arte da Catalunya

DIA 4:

Hoje o dia reserva dois passeios incríveis: Castelo de Monjuic e Camp Nou, o estádio do Barcelona.

Castelo de Monjuic: Essa fortaleza está situada no alto da montanha do Parc de Monjuic. Passear por lá é fugir um pouco do ritmo urbano da cidade, curtir um pouco de sossego, natureza, belas paisagens e ao mesmo tempo sentir-se mergulhado em um cenário medieval.

Hoje em dia o castelo funciona como Museu Militar. Visite-o por dentro, mas reserve a maior parte do tempo para a área externa, pois além das muralhas e dos belos jardins, você vai ter as mais belas e variadas vistas da cidade.

Para chegar lá desça na estação PARAL-LEL do metrô (L2 – lilás ou L3 – verde). Saindo dela, pegue o FUNICULAR DE MONJUIC para ir até a estação superior do funicular. A partir daqui você tem três opções para chegar ao Castelo: pegar o Telefèric de Monjuic, pegar um ônibus que vai até lá ou caminhar por aproximadamente 20 minutos montanha acima.

Nossa sugestão? Suba pelo teleférico, que não é apenas um meio de transporte, mas uma atração turística, e a vista dele é linda. Depois desça a pé até a estação do funicular, pois o caminho é cheio de belas atrações, estátuas, jardins, mirantes e quiosques. Vale muito a pena.

Camp Nou: É o estádio do FC Barcelona, considerado um templo do esporte e uma das atrações mais visitadas da cidade. Mesmo quem não é apaixonado por futebol vai achar a visita bastante interessante. Para chegar lá você pode descer em várias estações do metrô.

A partir de todas elas ainda é necessário caminhar um pouquinho, mas toda a região é bem sinalizada. As de acesso mais fácil ao clube são:  PALAU REIAL (L3 – verde), BADAL e COLLBLANC (ambas na L5 – azul).

A visita ao Camp Nou não é guiada, então você pode fazê-la no seu ritmo, mas é preciso obedecer uma sequência. Ou seja, você não vai se perder e nem deixar de ver algum lugar importante. Além disso, é possível alugar um audioguia – nós escolhemos esta opção e foi ótimo, porque existem milhares de informações que tornam o passeio mais interessante.

Conheça o Museu FCB, com uma interminável coleção de troféus, além de objetos que pertenceram a jogadores que ficaram famosos no clube (muitos brasileiros!!!!!) e muitas outras histórias.

A Zona Multimedia é uma parte do museu com grandes mesas e painéis interativos onde você escolhe entrevistas, lances, reportagens, histórias, qualquer coisa que deseja rever. Em um canto dessa sala existem vários fones de ouvido caindo do teto com uma projeção na parede, e você pode escutar e ler o hino do FC Barcelona em qualquer idioma. Muito legal!

Passe pelo vestiário dos visitantes (o do time do Barcelona não é aberto ao público), as cabines de imprensa com a visão privilegiada que os narradores têm, a zona mista, para onde os jogadores vão ao final dos jogos para dar entrevistas, a sala onde os treinadores atendem os repórteres, enfim, todos os lugares que despertam nossa curiosidade quando estamos assistindo uma partida de futebol.

Mas o ponto mais emocionante na nossa opinião é seguir pelo corredor que dá acesso ao campo como se estivéssemos indo disputar um jogo, e ao final dele entrar naquele estádio imenso… Impossível não sentir a emoção de encontrar as arquibancadas lotadas com todos gritando o seu nome… É de arrepiar!

Bom, elas estarão vazias, mas mesmo assim vá para perto do gramado (existe um limitador de acesso, mas dá para ver como ele é bem cuidado). Subir nas arquibancadas, andar por lá e sentar é permitido. Faça isso e tire lindas fotos do estádio.

O tour termina na loja de produtos oficiais do FC Barcelona – melhor chamar de megaloja – tem até uma escadaria vermelha e iluminada lá dentro, parecida com a da Times Square em Nova York!

DICA: Para saber os horários de funcionamento e preços visite o site oficial do clube.

Veja Mais:

Temos também roteiros completos por Madri.

Se puder, visite também a encantadora Toledo.

Inscreva-se no nosso canal no Youtube.

Vídeos ao vivo direto da Espanha você vê aqui.

Veja os nossos vlogs aqui.

Não deixe de curtir a nossa página do Facebook.

Ficou com alguma dúvida ou quer sugerir algum tema, entre em contato com a gente.

Autor: Fábio Trindade e Tiago Stachetti

Fábio Trindade

Jornalista e viajante profissional @fatrindade

14 thoughts on “Roteiro de viagem Espanha: Barcelona em 4 dias

  • Prezados,
    Excelentes Reportagens, Descrição e Informações;
    Gostaria de receber futuras publicações , por e.mail.

    Forte abraço,

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *